Maktub

Maktub

sábado, 9 de outubro de 2010





Vivendo em dualidade

Ouço a voz do bem
O som do amor
Ouço a voz do mal
O som da dor
Vejo a Verdade
Em meio a ilusão
Vejo a luz
Dentro da escuridão.
Quero chorar
Porque não sei mais me amar
E nem confiar
Na voz do bem que deixei de escutar
Hoje não sei mais me alimentar
Dos pensamentos bons a governar
Dei confiança a  uma voz de tristeza
Que cobriu a minha alma de fraqueza
Ela fala como coitada
É sozinha ,não tem amigos nem nada
Se acha e vive desprezada.
Ao Mestre do amor
Peço que cure a nossa dor
Minha e de tudo que atraí que não se alimento do amor
Ele me faz compreender a provação
A lei da atração
O mistério da transformação
A escuridão que ronda a luz do coração.
É o marginal
A mando do mal
É a tentação
A treva do astral.
Mude logo de lugar
Procurar faz encontrar
Tem que aprender a rezar.
Oh,Pai!Me ensina a amar
A quem eu devo amar
Para escutar
A voz que vai me curar.
Eu sou filho de Deus
Eu devo ter amor
Eu não vou mais ligar
Para os olhares a julgar.
Quero ter esperaça
Deus me de a confiança
Para eu deixar pra trás
O que não me convém mais.
Eu quero renascer
Viver, Crescer e Ser.
Eu vou imaginar
Um jardim a ensinar
Vou desabrochar com a flor
Vou transformar no amor
Do nosso pai Criador!
Uma voz à atrapalhar
E outra vem me confortar:
Para Ser basta Amar

Buscar,ter Fé e Acreditar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário